sábado, 23 de fevereiro de 2013



Quando eu for, um dia desses,
Poeira ou folha levada
No vento da madrugada,
Serei um pouco do nada
Invisível, delicioso

Que faz com que o teu ar
Pareça mais um olhar,
Suave mistério amoroso,
Cidade de meu andar
(Deste já tão longo andar!)

E talvez de meu repouso...

Mário Quintana

Um comentário:

  1. Eu sempre tento fazer este kusudama, mas ele fica estranho rS!!! ficaram lindos!

    bjs

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e comentar.
Thanks a lot for stopping by, hope to see you again.